Logo
Logo

Grupos de Trabalhos

Coordenadores

Gestão nos diferentes contextos

A proposta deste GT emerge das discussões do Grupo de Pesquisa “Gestão Educacional nos Diferentes Contextos” vinculado à Universidade La Salle de Canoas, Brasil, sob a liderança do Prof. Dr. Paulo Fossatti. Ligada ao Eixo Políticas Públicas e Educação do X Sincol, a proposição deste Grupo de Trabalho visa a abrigar e fomentar discussões voltadas a um interveniente significativo das políticas e da educação em seu bojo: a gestão, nos seus diferentes contextos. O referido Grupo investiga os processos de gestão educacional em instituições de educação básica e superior no país, por meio de seus discursos e práticas em diferentes contextos culturais. Propõe-se a estudar a identidade institucional, as ferramentas de gestão, a formação de gestores e a qualidade de vida no trabalho. As pesquisas buscam temas que convergem para a criação de um modelo de gestão na educação em âmbito local e regional e suas interfaces no mundo globalizado, a partir de projetos desenvolvidos ou em andamento, envolvendo as seguintes temáticas: Produção de sentido na docência; Governança e Inclusão, em especial de jovens e adultos de classes populares. Além disso, aborda a inovação e qualidade na docência e as causas da evasão na Educação, discute as formas de governo de instituições educativas, desde o âmbito da Educação Básica até a Educação Superior. Neste cenário, é impossível não convergir para aspectos emergentes como a inovação, as formas de relacionamento com o mercado, a responsabilidade social e os espaços formais e não formais de desenvolvimento de pessoas. Nessa perspectiva, no presente GT poderão ser apresentados trabalhos que busquem socializar práticas inovadoras de gestão em diferentes contextos, da Educação Básica à Educação Superior. Da mesma maneira, são bem-vindas pesquisas que tenham como escopo refletir sobre as formas de relacionamento da gestão escolar com o mercado, ou que almejem aprofundar os saberes sobre a responsabilidade social da gestão em diferentes contextos. Igualmente, serão aceitos estudos que objetivem contribuir para a construção de uma rede de multiplicadores de boas práticas de desenvolvimento de pessoas em contextos educativos formais e não formais.
Prof. Paulo Fossatti
Prof. Henrique Guths
Prof. Hildegard Susana Jung
Políticas e práticas de gestão educacional e do trabalho docente

No âmbito das políticas educacionais, embora sem consenso, tanto as pesquisas acadêmicas, quanto as atividades de planejamento, execução e avaliação de políticas pelas diversas escalas da administração pública, têm dado acento às questões relativas à docência e à gestão educacional e escolar como condições essenciais para o desenvolvimento educacional do País. Neste contexto, este Grupo de Trabalho propõe-se a debater políticas e práticas de gestão educacional e do trabalho docente com especial enfoque aos sistemas públicos de educação e às suas escolas e sujeitos. Acolhe trabalhos cujas tônicas estejam vinculadas a abordagens teóricas e metodológicas de pesquisas, resultados finais ou parciais de estudos, assim como relatos de experiências vinculados às temáticas em tela. Fundamenta-se na lógica da aplicação na prática das políticas educacionais, que compreende uma visão linear da vida das políticas como obsoleta, sendo necessário que os referenciais de análise estejam associados ao contexto multifacetado contemporâneo.
Prof. Almir Paulo dos Santos
Prof. Robson Olivino Paim
Prof. Sandra Simone Höpner Pierozan
Perspectivas e desafios para o Ensino Médio no Brasil

Este GT objetiva discutir e analisar as diretrizes e consequências da lei 13.415/16, que modifica a estrutura curricular do Ensino Médio sem, contudo, atacar seus principais problemas, como a indefinição de um perfil de uma escola de nível médio (ou falta de identidade desse segmento), altas taxas de evasão, baixas taxas de matrículas e desinteresse dos alunos. A nova lei, em seu art. 36, parágrafos 8º e 9º, determina que somente serão obrigatórias, ao longo dos três anos do Ensino Médio, as disciplinas de Inglês, Português e Matemática e condiciona as demais disciplinas à aprovação da Base Nacional Comum Curricular. Retira, portanto, a obrigatoriedade das disciplinas de História, Geografia, Filosofia, Sociologia, Química, Física, Biologia, empobrecendo e retirando do aluno o acesso ao conhecimento produzido pela humanidade. A proposta deste GT caminha no sentido de reconhecer a necessidade de algum tipo de mudança no Ensino Médio. Entretanto, compreende-se que a reforma sancionada não atinge os principais problemas acima referidos, caracterizando-se mais por um enxugamento curricular do que por uma política pública orientada para o fortalecimento desse segmento, como se observou nas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (Parecer CEB/CNE nº15/98) – que propõem o desenvolvimento de competências básicas, interdisciplinaridade e contextualização dos conteúdos –; e no lançamento pelo MEC do Projeto Ensino Médio Inovador (2009), visando a melhoria desse nível de ensino. O sentido das propostas anteriores à lei 13.415/16 orientavam-se por ações centradas na educação científica e humanista, na valorização da leitura, em uma aproximação entre a teoria e a prática, e na utilização de tecnologias e o desenvolvimento de metodologias criativas e emancipadoras. Assim, este GT aceitará artigos que contribuam para o debate sobre as implicações provenientes da lei 13.415/16 em suas múltiplas abordagens.
Prof. Fernando Gaudereto Lamas
Ptof. Fabiana Andrade da Costa Vieira
Prof. Marcelo Romero
Formação Humana Integral e o Programa Novo Mais Educação (PNME): dilemas de uma política pública educacional incompleta

A proposta do grupo de trabalho (GT) é relacionar o conceito de Formação Humana Integral (FHI) exposto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) homologa no final de 2017 com a proposta de Educação Integral (EI) ensejada no Programa Novo Mais Educação (PNME), desenvolvida no âmbito da Secretária de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação (MEC) em parceria com estados e municípios. Almeja-se apresentar a vinculação destes conceitos, a saber FHI e EI, a partir da BNCC e sua implementação nos currículos das escolas de todo o País. Outro ponto de discussão é o desafio de implantar a Educação Integral, em pelo menos 50% das escolas públicas ou 25% das matrículas até 2024, conforme determina o Plano Nacional de Educação (PNE, 2014). Diante disso, a escola assume um papel fundamental na tentativa de assegurar que todos tenham uma formação humana integral, por meio de uma clara proposta de desenvolvimento integral. Somado a isso e sendo a BNCC também um norteador no processo de formação, é imprescindível discutir e avaliar como estas duas políticas públicas se relacionam. Sendo assim, este GT se justifica com o propósito de investigar à correlação existente entre a BNCC com o PNME no que tange aos conceitos de Formação Humana Integral, Educação Integral e Escola em Tempo Integral. Visa, ainda, contextualizar a implementação da BNCC nas redes de ensino dos estados e municípios e, também o desenvolvimento do PNME nas escolas cadastradas no Programa. Outro ponto a ser observado será os estudos que apresentem os desafios, limitações e potencialidade da BNCC, especialmente no contexto da Educação Integral. O GT está vinculado ao eixo temático Políticas Públicas e Educação, tendo em vista que este propõem-se a discutir as interfaces entre a Educação Integral, a BNCC, seus Programas e o PNE, compreender como estas duas políticas públicas se arrolam, como estão sendo implementadas e avaliadas é fundamental no atual contexto educacional brasileiro.
Prof. Larissa de Lima Trindade
Prof. Élsio José Corá
Prof. Oto João Petry
Educação em Direitos Humanos e Diversidades

O GT se propõe a discutir temáticas contemporâneas relacionadas à educação, direitos humanos e diversidades nos seus mais diversos aportes: educação e direitos humanos, educação e migração, educação do campo, educação na terceira idade, educação e desenvolvimento, educação intercultural indígena, educação quilombola, educação e bem-viver, educação e diversidade cultural, educação e gênero.
Prof. Maria de Lourdes Bernartt
Profº. Leonel Piovezana
Políticas e gestão educacional

A propositura do Grupo de Trabalho em Políticas e Gestão Educacional vincula-se ao movimento crescente no âmbito da formação de profissionais pesquisadores do campo educacional que se articulam em redes colaborativas ampliadas para compartilhar saberes, divulgar resultados de estudos e pesquisas, difundir práticas inovadoras, estimular a elaboração e implantação de políticas, programas e ações que favoreçam o desenvolvimento de processos formativos e de gestão educacional acessíveis e plasmados por princípios que valorizam a dignidade humana, a afirmação da cidadania e emancipação plena de mulheres e homens nas suas singularidades existenciais em nível local, regional e planetário. As questões que envolvem as discussões a partir das políticas de organização da gestão educacional colocam-se para além das vivências escolares-institucionais; pretendem posicionar-se em contextos mais ampliados e que consideram a dinâmica da economia transnacionalizada com suas implicações nas culturas locais e globais como elemento importante nas análises e formulações de protagonismos no campo das políticas e gestão educacional. O GT Políticas e Gestão Educacional insere-se no Eixo Temático Políticas Públicas de Educação do X Simpósio Nacional de Educação e tem por objetivo suscitar discussões sobre a produção do conhecimento no campo das políticas e gestão educacional, apontar possibilidades de atuação nesses campos epistemológicos e sociais que favoreçam a materialização de protagonismos dialógico – emancipadores em contextos da educação básica e superior. Neste sentido, terão destaque os trabalhos que trazem à luz reflexões crítico-propositivas, modos e modelos de gestão em curso nas redes municipais e estaduais da educação básica, e superior. Reconhecemos a relevância de produzirmos estudos acerca das políticas educacionais, das formas de gestão, de avaliação e das estratégias de organização das atividades escolares. O GT tem como expectativa receber artigos que abordem a temática das Políticas de Gestão Educacional a partir da perspectiva de ampliação do tema, abordando questões educacionais e suas relações com as dimensões sociais, políticas, culturais, ambientais e econômicas. O GT espera ser um espaço multidisciplinar de diálogo sobre a temática em questão com ênfase nas inovações nas políticas e gestão educacional para a educação básica e superior. Serão aceitos até vinte trabalhos por sessão. A apresentação terá a duração de até trinta minutos, dos quais vinte minutos serão destinados para a apresentação do trabalho e dez minutos para os debates. Descritores: Políticas educacionais; Gestão escolar; Inovações na Gestão educacional.
Prof. Oto João Petr Prof. Chaiane Bukowski Prof. Mestre Rosane Fátima Vasques